quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Beluthier na Woodcraft

Olá pessoal!

Aqui vai um outro vídeo para os amantes da lutheria, marcenaria e afins... dentro da Woodcraft, loja de ferramentas especializada em equipamentos para madeira, em San Carlos, Califórnia.

http://www.youtube.com/watch?v=J6qlbXq8URc

Uma Homenagem ao trabalho do mestre Somogyi

http://www.youtube.com/watch?v=wRoWdXuLLII

Esta é uma homenagem da família Beluthier ao trabalho deste grande mestre da lutheria.

O vídeo mostra imagens do curso de voicing guitar, que acontece uma vez por ano em Oakland, CA.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Overdubbing na Beluthier

Olá amigos.

É um prazer estar aqui divulgando a matéria que o site Overdubbing publicou sobre o meu trabalho e sobre a Beluthier. Agradeço ao André Iunes, editor do site Overdubbing, que reconheceu o diferencial do meu trabalho e se interessou pessoalmente em publicar este vídeo.

Este reconhecimento é mais um incentivo para continuarmos a desenvolver o nosso trabalho.

http://www.overdubbing.com.br/

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Somogyi`s Guitar Voicing Class 2010

Olá amigos!
No início de novembro eu tive o prazer de participar do curso de Ervin Somogyi (Guitar Voicing Class 2010), em Oakland na Califórnia (EUA).
O curso teve duração de 7 dias e foi voltado inteiramente para o aperfeiçoamento da sonoridade do violão de aço e clássico.
Foi uma ótima experiência para aprender novas técnicas e confirmar a qualidade do trabalho que estamos desenvolvendo aqui no Brasil.
Uma vez por ano, Somogyi recebe em seu atelier, um grupo de no máximo seis experientes luthiers e eu tive o prazer de ter sido o primeiro brasileiro a participar.
Para quem não conhece, Ervin Somogyi é o que eles chamam de Master luthier. Reconhecido internacionalmente pelo altíssimo nível de seus violões e com mais de quarenta anos de experiência, Somogyi constrói não apenas violões, mas também obras de arte.

http://www.esomogyi.com/

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Dixie Michelle - Making A Classical Guitar

Para se construir violões de alto nível, basta querer, se empenhar e principalmente amar o que se está fazendo. Lutheria é uma arte de vida! Dêem uma olhada neste vídeo, ele é o exemplo de que não existem barreiras quando se tem uma vocação verdadeira.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Beluthier no Ar!!!!


Agora você já pode acessar o nosso site ( http://www.beluthier.com.br/ ) e conhecer um pouco mais dos violões, cursos de lutheria, restauros, venda, etc. Venha nos visitar!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Violões Artesanais da Beluthier.

Este vídeo é uma homenagem a todos os que ajudam a Beluthier a ser o que é. Fruto de um trabalho apaixonado e comprometido com a qualidade.

Nosso amigo Wilmar Greven, músico, arranjador e compositor de mão cheia, apreciando o modelo Corcovado na Beluthier.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Rosetas Pergaminho

Muitas pessoas gostariam de saber como são feitas estas rosetas de instrumentos barrocos, que material é utilizado em sua construção, como se fazem os diferentes níveis de filigrana, etc.
Aqui está o passo a passo para se fazer uma!
Obs.: Eu só fiz a tradução!!!!!

A Roseta Pergaminho

Um homem com um violão em estilo barroco queria acrescentar uma roseta pergaminho para ele. Estas são rosetas decorativas feitas de vitelo (bezerros, pele de cabra), muitas vezes com várias camadas de profundidade, tipo um bolo de casamento, só que para baixo. Alguns podem ser imensamente elaborados. Este trabalho baseia-se no século XVI roseta italiana, COM três níveis de profundidade. No original, havia três camadas de pergaminho por nível, mas só estou fazendo duas camadas por nível. O projeto em si é levemente complicado pelo fato de que ele está sendo adicionado ao instrumento após o instrumento estr concluído, e o dono quis que a roseta pudesse ser removida, o que significa que tiveram que ser estruturalmente mais sólida do que algo que seria construída integralmente no instrumento. Eu nunca realmente fiz um pergaminho desta maneira antes, por isso tornou-se uma experiência interessante, tanto em "ciência dos materiais" como na técnica.

O design como tentativa. Isto é o que você veria olhando para baixo, embora a partir de uma visão lateral seria composto por três camadas. O topo é apenas o anel externo e sua franja. O segundo nível é a borda do anel externo para a franja ao redor da estrela de seis pontas. A camada inferior é a própria estrela. Cada camada é de cerca de 1 / 2 polegada de profundidade. Toda rosa é pouco menos de três polegadas e meia de diâmetro.

Comecei por adquirir alguns pergaminhos de pele de cabra da Stern Tanning Co., que demorou um pouco, mas recebi algumas peças agradáveis.

A pelica era um pouco mais adequada do que a pele de cabra, por isso decidi usar isso.


Comecei com uma faca e testei a superfície de corte em um pequeno pedaço do pergaminho.
Inicialmente, eu usei um pedaço de mármore como uma placa de apoio (o que eu uso como suporte para a minha pele de trabalho), e testadas várias lâminas X-acto, uma faca da Stanley, e algumas facas cirúrgicas para ver o que funcionaria melhor no pergaminho.

As lâminas da Stanley e facas cirúrgicas foram muito nítidas, mas eram demasiado finas para a pressão necessária para cortar o papel vegetal grosso - elas entortaram ou vincaram, tornando o controle mais difícil.

A X-acto mais espessa funcionou bem, e um micro x-acto (tamanho n º 3) funcionou bem para os espaços pequenos e detalhes.

O mármore não funcionou bem, pois era duro o suficiente para cegar as lâminas.
Então, decidi por utilizar uma placa de corte de madeira que era suficientemente estável, mas não destruiria as lâminas. O teste mostrou que eu poderia trabalhar com cortes bem pequenos - Esta peça tem um pouco mais de um centímetro de comprimento.


Eu imprimi o desenho em escala de cada camada, e decidi começar o trabalho de baixo para cima. O padrão foi transferido para a peça de vitelo usando uma mesa de luz e em seguida a peça foi gravada com lápis e feito o corte da borda para se certificar de que ficou limpa e plana (vitelo tende a ondular).

Esta é a camada inferior, tendo sido cortada (ainda gravou a borda). O trabalho é lento e árduo, mas funcionou.


Segunda camada da camada do fundo.

Este é um retrato do segundo corte para fora, quando eu deixei as bordas da largura total. Aqui eu encontrei o primeiro problema com a construção real.

Meu primeiro pensamento foi colar as duas camadas juntas, pregar guias na camada de baixo para cima. Ao fazer isso, descobri vários problemas. O primeiro foi a cola. Tentei uma cola chamada Elmers, que saturou o pergaminho e o manchou, além de não ter segurado muito bem, tentei cola de luthier, e até mesmo cola de madeira, mas nenhuma deu bons resultados. Eventualmente eu tive que recorrer a uma variante de superbonder, que finalmente fez segurar a coisa. Até este ponto, no entanto, as duas primeiras peças tinham sido bastante destruído e tiveram de ser recortadas. Quando eu as juntei, tentei anexar o pergaminho dobrado ao separador vertical, usando as guias de nível inferior. Isto foi quase impossível - havia muita tensão sobre ele, e a cola não conseguiu segurar a pressão também.

Eu acho que os pergaminhos antigos devem ter usado uma pele muito mais fina do que eu estava usando.

A solução poderia ter sido trabalhar com um fino pergaminho e tê-lo instalado permanentemente, mas esta roseta em particular era muito frágil e instável.

Então eu decidi, em vez de construir uma madeira muito leve (neste caso basswood e balsa) fazer uma armação para prender tudo, e para adicionar o suporte estrutural para que a roseta pudesse ser manuseada com mais facilidade. Então as camadas foram recortadas e sairam com suas bordas completas para dar maior superfície para a colagem.

As duas camadas inferiores coladas. Estas se mostram mais estáveis.

O próximo passo foi construir a estrela de madeira. Isso foi feito através do corte de doze pequenas peças de basswood, dobrando as articulações de cada uma, e colando em conjunto para criar um quadro. Uma tira de pergaminho foi cortada ao comprimento, dobrada de forma apropriada e colada na moldura de um forro. O pergaminho e a madeira foram aparadas e limpas.

As camadas inferiores foram coladas na parte inferior da moldura de madeira e ficou muito bom.

E então foi cortado o excesso. Este é o fundo final. Na verdade, é bastante sólido, de modo que parece funcionar e pode ser manuseada sem medo de se desmoronar tão facilmente.

Desde que a técnica pareceu funcionar bem para a camada inferior, eu decidi usar a mesma lógica para o próximo nível. Esta é a camada inferior da segunda camada a ser cortada.

Ao terminar a camada inferior da segunda camada, uma das coisas que pode ser vista claramente é que eu estou desenhando e cortando no lado da carne do pergaminho, mas o objectivo final será do lado da pele, que é mais suave.

Esta peça teve uma grande falha no espaço central e é por isso que tem bordas grandes. Há também alguns rasgo na carne, no canto inferior esquerdo, como vocês podem ver. Mas a região onde o projeto é colocado está limpa.

Isso vai ser colocado em cima da estrela de madeira.

O projeto da segunda camada será colocado em cima da primeira camada. A estrela foi a armação de madeira pintada de nanquim preto para não aparecer.

Estas foram coladas juntas e as bordas desbastadas para moldar a adição do próximo quadro.

O segundo quadro.

Isso é feito a partir de uma faixa de 1 / 2 polegada de madeira balsa, que foi dobrada no vapor em um círculo.

Com o segundo quadro no lugar, estou adiando a montagem final até que eu trabalho fora da estrutura superior esteja pronto- veja abaixo.



Testing the spacing/fit on the third tier. Might have been tedious, but it looks very nice in place. Starting to look like it's supposed to.


O problema agora é descobrir como criar a borda superior de modo que: 1) é estruturalmente sólida, 2) pode ser firmada dentro e fora do instrumento, sem danificar o mesmo ou a si mesmo; 3) não superposição da frente da boca, ou sobrepor muito acima da superfície do tampo (para evitar que acorda resvale).

A idéia é ter um anel estreito de madeira que fica acima da boca ligada a um anel mais vertical de madeira que estrutura a roseta.

Eu selecionei um pedaço de cedro de tampo de guitarra que eu tinha. Eu estarei usando isso para testar o molde e anel de apoio superior.

Minha intenção inicial era cortar isso de um pedaço de ébano. Isso se provou problemático por duas razões. Em primeiro lugar, eu não tinha um pedaço de ébano grande o suficiente para cortá-la em uma peça e não acho que uma peça montada seria forte o suficiente. Em segundo lugar, a única peça de ébano que eu poderia achar que era grande o suficiente , tinha uma polegada de espessura, o esforço que seria necessário para reduzi-la a um anel estreito e fino era um aburdo. Em vez disso, eu selecionei uma parte limpa do basswood, o mesmo pedaço que havia cortado as peças da estrela de seis pontas, e esculpi esta aliança como uma peça única. Lição aprendida aqui. Esculpir o primeiro o centro. Eu cometi o erro de cortar as arestas na primeira tentativa.

O anel de corte foi então lixado e a borda superior externa arredondada de modo que se misture de forma mais suave com o tampo, em última instância.

Esta foi pintada de preto ( tinta de couro) e uma camada de tinta preta à prova d'água. Uma vez reunidos com o anel vertical, será hidratada e selada.

Em seguida trabalhou-se no anel de suporte vertical que seria colado embaixo do anel superior e teria também um pedaço da parede exterior de cortiça.

Que foi embebida em água morna. Eu deixei secar para que a madeira ficasse na forma, e depois apertei o laço e colei.

Usando cola de luthier eu colei o laço de ébano, segurando-os juntos com prendedores de roupa como grampos. O laço neste momento poderia deslizar através do buraco no tampo. Depois que a cola estava seca, eu lixei as bordas para que ele fizesse um círculo liso, agora com cerca de duas camadas de espessura.

Depois eu cortei uma tira fina de cortiça a partir de um pedaço de cortiça que eu tinha. Isso foi então colocado ainda mais fina, até que foi preenchida a cerca de 2mm de espessura. Isso foi dobrado com muito cuidado e colado à borda externa do anel de ébano, utilizando a super-cola.

O anel de suporte vertical foi então cuidadosamente montado na boca.

Fui lixando suavemente a borda inferior da cortiça de modo que pudesse ser facilmente encravada na boca, mas não com muito esforço no próprio anel.



A terceira camada completa, com o pergaminho esculpido deve ser uma fração de milímetro mais fino que a ponta da cortiça.

A espessura do anel vertical da madeira era bastante estreita, tão somente um par de milímetros detém o pergaminho com a madeira.

Empilhando todos juntos.





Este instrumento barroco foi feito pelo luthier Chris Steinert

Veja a matéria original no site abaixo.

http://crab.rutgers.edu/~pbutler/parchment.html