sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Escolhendo um instrumento na loja.

Um leitor do blog me escreveu pedindo algumas dicas sobre como escolher um bom instrumento, aqui vão algumas sugestões.
Muitas vezes o cliente chega na loja para comprar algo que nem ele mesmo sabe direito o que é, milhões de guitarras coloridas penduradas dentro de vitrines fechadas aguçam a curiosidade e o sonho de consumo dos apaixonados por música.
O preço muitas vezes norteia a qualidade na hora da escolha, mas podemos nos enganar ou sermos enganados, nem sempre o melhor neste caso pode ser o mais caro.
O fato é que as lojas estão repletas de marcas de qualidades diferentes e por isso você pode desde já começar a se perguntar: Onde foi feito este instrumento? Normalmente o vendedor diz: Na China! Só que eles melhoraram muito, agora o acabamento está perfeito. A captação tem até afinador eletrônico embutido, ou uma captação da marca xyz...
É claro que o vendedor não está ali pra te ajudar, ele está ali para vender!
Muitas vezes a loja precisa desencalhar produtos que não tiveram boa saída e dependendo do valor que você esteja pensando em gastar, isso pode ser revertido em benefício à seu favor.
Mas voltando à China... estes instrumentos são muito parecidos, principalmente dentro de uma determinada faixa de preço. Qual será a diferença entre uma guitarra de R$ 300,00 de uma determinada marca e uma de R$360,00 de outra marca concorrente? Seria uma madeira melhor? Talvez uma melhor captação? Bom! Guitarras baratas possuem captação e hardware de baixa qualidade, portanto é preciso observar se existe algum ponto de ferrugem nas partes metálicas, pontinhos brancos na cromagem podem significar um início de oxidação.
Verifique as tarrachas, afine o instrumento e veja se existe folga nos knobs, caso exista alguma folga, peça outra do mesmo modelo para confirmar se o problema está em todas ou só naquela que o vendedor pegou.
Outro ponto importante é o braço. Ele precisa estar o mais reto possível. Já vimos que o braço precisa ter certa curvatura que é regulada pelo tirante, mas as lojas recebem os instrumentos “regulados” pelos importadores e na maioria das vezes retira da caixa e pendura no stand, é claro que por conta da climatização, os instrumentos irão trabalhar e com o tempo poderão apresentar algum empeno.
Normalmente o vendedor não sabe regular o tirante (não é função dele), mas ele diz pra você que o braço não pode estar empenado porque tem tirante. Fuja! Este vai te vender até a mãe dele! Não existe isso. Quem já leu as outras postagens está vacinado contra este tipo de vendedor mal informado.
Se as cordas estiverem muito altas desconfie. Ele não vai regular o braço ou qualquer outra coisa na sua frente, até porque, ele pode danificar o instrumento.
Algumas lojas tem “luthiers/vendedores” que atendem os clientes e ainda ganham um por fora. Não sou contra, mas já presenciei alguns problemas e normalmente as lojas não se responsabilizam por qualquer dano causado ao instrumento, dá pra imaginar o motivo.
Ligue o instrumento no amplificador. Veja se cada botão está funcionando perfeitamente, sem scraths ou barulhos estranhos, toque e deixe o som soar enquanto mexe nos potenciômetros.
Verifique se o Jack fêmea faz algum ruído quando você mexe no cabo, se isto acontecer peça outro instrumento.
Verifique se existe algum trastejo, caso aconteça peça outro. Este problema de trastejo pode não ser algo grave, mas se for, pode doer na cabeça e no bolso, na ausência de alguém mais bem informado, recuse.
Veja se existe algum problema na pintura, alguma batida, manchas, arranhões, etc.
Verifique as cordas. Caso elas estejam enferrujadas, peça que troque na própria loja, afinal você está comprando um instrumento novo.
Guarde a nota, pois caso você precise reclamar com o importador ou com o fabricante, você terá em mãos um documento legal.
Se não derem desconto à vista, parcele no máximo de vezes possível, pois caso dê algum defeito você pode alegar que ainda está pagando e forçar a loja a te ajudar.
Quando comprar um instrumento novo, leve em seu Luthier de confiança e peça para ele regular todo o instrumento de acordo com o seu gosto pessoal ou da melhor forma possível. Quanto antes você fizer isto, mais rapidamente poderá reivindicar a troca do mesmo caso haja necessidade.
Dê preferência ao luthier localizado. Peça referências de outros músicos e avalie você mesmo o trabalho. Não existe unanimidade, o que é bom pro outro pode não servir pra você.